Bélgica – Tour Cervejeiro Parte 1 – Roteiro de 10 dias

Recentemente fiz uma viagem para Holanda, Bélgica e Luxemburgo e como estava acompanhada de um apaixonado por cerveja, que até produz a sua própria cerveja, não poderia deixar de fazer um roteiro que misturasse turismo e os famosos mosteiros trapistas da Holanda e Bélgica que produzem cervejas que ficaram famosas no mundo todo.

Antes de planejar um roteiro como esse é preciso saber algumas coisas:

– Os mosteiros normalmente ficam afastados da cidade e muitos não permite a visitação.

– A maioria não permite a visitação nos mosteiros e na fábrica, mais possuem um restaurante onde é possível experimentar as cervejas produzidas e loja para compra dos produtos do mosteiro.

– Por ficarem afastados é preciso de um carro para se chegar neles. Mas não se preocupe, as estradas são muito boas e em sua maioria é bem fácil de se chegar, e hoje com a ajuda dos celulares, fica impossível não achar os mosteiros.

– É sempre bom ver as cidades próximas do mosteiro que você quer visitar. A Bélgica é bem pequena e nenhuma viagem vai ser muito mais que 2 horas. Escolhemos ficar nas cidades maiores da Bélgica, mais há quem prefira ficar mais próximo dos mosteiros em cidades menores.

Após algumas pesquisas decidimos pelo roteiro abaixo, que ficou uma junção perfeita de turismo e visitas a cervejarias e mosteiros trapistas:

Dia 1 – Amsterdam – Heineken

Dia 2 – Amsterdam

Dia 3 – Rotterdam + La Trape + Westmalle

Dia 4 – Antuerpia + Bruges

Dia 5 – Bruges – Brouwerij de Halve Maan

Dia 6 – Westvleteren + St. Bernardus

Dia 7 – Bruxelas – Café Delirium

Dia 8 – Bruxelas – Mort Subita

Dia 9 – Chimay + Rochefort + Orval

Dia 10 – Luxemburgo

No próximo post “Bélgica – Tour Cervejeiro Parte 2” eu irei detalhar sobre cada cervejaria e mosteiro que fomos durante a nossa viagem, e em posts futuros irei falar sobre a parte turística de cada cidade.

*Curiosidade 1: As cervejas mais famosas da Bélgica são as de ordem trapistas e para poderem receber essa classificação elas precisam seguir 3 regras básicas: a cerveja deve ser produzida dentro de um mosteiro, ou nas suas imediações, com supervisão de um monge; a cervejaria deve ser de importância secundária no mosteiro e deve testemunhar as práticas comerciais próprias de um modo de vida monástico; e o lucro das vendas devem ser destinados para as necessidades básicas do mosteiro e/ou para caridade.

*Curiosidade 2: No mundo existem apenas 11 mosteiros que recebem esse título: um fica na Itália, em Roma, a Abadia das Três Fontes, uma nos Estados Unidos, em Massachussets, a Abadia St. Joseph’s, uma na Áustria, em Stift Engelszell, a Abadia de Stift Engelszell, duas na Holanda, a Abadia de La Trape e a Abadia Maria Toevlucht em Zundert, e seis ficam na Bélgica, a Abadia de Orval, a Abadia de Achel, a Abadia de Westmalle, a Abadia de Chimay, a Abadia de Rochefort e a Abadia de Westvleteren.

Um comentário sobre “Bélgica – Tour Cervejeiro Parte 1 – Roteiro de 10 dias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s